Paredes de Outono

É garota, te procurei o verão inteiro. Já imaginava que pelo seu jeito e seu gênio, só apareceria no outono. Sabe como é, nessa época do ano o tempo fica nublado, o sol costuma se esconder atrás de grandes nuvens. Feito você. Só que você se esconde nas paredes de sua própria incerteza e insegurança. Já não te disse que quero ser seu cara? Já não te disse que quero ser “o cara” pra você? Você como sempre, cheia de desconfianças. Quando digo que quero e vou faze-la feliz é verdade. Há muito tempo que venho tentando fazer com que isso entre nessa sua cabecinha dura. Sempre desconfiada. Fique tranquila, fica calma, eu vou segurar suas mãos! Não é assim sempre? Uma vez você me disse que ficava mais segura quando eu segurava as suas mãos. É assim que vai ser. Vou segurá-las quando você perder o chão, ou quando você tiver tão alegre que possa cair, eu estarei ali as segurando para que isso não aconteça. Só te peço que confie em mim. Eu já disse: to aqui! Vem cá, me de a sua mão terei o resto do outono para quebrar suas paredes e reconstruí-las com todo amor possível de maneira que nenhum outro sentimento que não seja esse as tome conta. Anda, me de as mãos antes que o inverno chegue…

Por: Bruna Pereira

Anúncios